Os perigos por trás dos energéticos

Sabe quando você sente que precisa daquela energia extra pra passar por uma noite de estudos, curtir uma balada ou aguentar o treino? E acaba tomando um energético, e outro energético, e outro… até se sentir mais alerta e concentrado que o Sherlock Holmes.

Pois é, nesse momento será que essa foi a melhor das ideias? Você já parou pra pensar porque dizem que energéticos nos dão ASAS? Quer dizer, por que será que eles têm um efeito TÃO forte no nosso corpo? Depois de ler este artigo, você vai entender por que os energéticos nos transformam. A partir daí é com você: lembra de explicar pros seus amigos o que você ler aqui, para que eles também saibam tudo sobre os efeitos dessa bebida.

Imagine uma latinha de 250 ml da sua marca preferida de energético. O que mais tem ali dentro é o nosso velho amigo açúcar. Além disso, você também vai encontrar grandes quantidades de taurina, um aminoácido produzido pelo seu corpo, e CAFEÍNA, a grande responsável pelo efeito “energético” da bebida.

Fora outras substâncias em menor quantidade, algumas quase impronunciáveis. Mas o que tudo isso faz no seu organismo? Pra começar, o açúcar na bebida é responsável por gerar energia para o seu corpo, aumentando a glicose na corrente sanguínea e em órgãos como o cérebro e o fígado.

A taurina está presente no nosso organismo de forma natural, mas você também adquire ela através da ingestão de certos alimentos, como peixes e carnes. Segundo um estudo financiado pelo Canadian Institutes of Health Research, entre as principais funções da taurina estão benefícios para o sistema cardiovascular e a antioxidação.

Além disso, ela pode influenciar a liberação de hormônios ligados à saciedade (leptina) e distribuição de energia (insulina). Lembra que a gente mencionou que a cafeína é quem desperta o seu corpo?

EnergéticosIsso é porque ela estimula o seu sistema nervoso central e metabolismo, fazendo você se sentir menos cansado e aumentando a sua concentração e tempo de reação. Inclusive é por isso que tanta gente toma café antes de treinar ou durante uma longa noite de estudos.

Uma hora depois de ter tomado o energético, os níveis de cafeína e açúcar começam a decair e você pode começar a sentir certo cansaço. E é aqui que está o grande problema com o consumo de energéticos – assim como em quase tudo que a gente consome: o exagero.

Tomar uma lata por dia até pode não trazer grandes problemas para o seu corpo, mas a partir de duas latas você começa a entrar em uma zona de risco. Isso porque grandes quantidades dessa bebida acabam dando mais energia para o nosso corpo do que ele precisa – e muitas vezes do que ele é capaz de suportar. Afinal, não fomos feitos para ter asas.

É muito fácil exagerar no consumo de energético, porque, além de ter um sabor adocicado, os efeitos dele, assim como os do café, não duram por muito tempo. Por isso você vai precisar de uma quantidade cada vez maior para continuar sentindo os efeitos que deseja.

Só que o seu corpo só consegue filtrar certo nível de açúcar e cafeína, então a ingestão no longo prazo pode levar a problemas no fígado e no coração.
E esses problemas podem ser ainda maiores quando combinado com bebidas alcoólicas. O efeito do álcool junto com o do estimulante faz com que essas substâncias cheguem mais rapidamente na corrente sanguínea e, por consequência, ao fígado. Isso favorece o acúmulo de gordura corporal e, a longo prazo, pode causar cirrose.

Pessoas com predisposição a ter problemas cardíacos fazem parte do principal grupo de risco. Em casos extremos isso pode levar a ataques cardíacos e até mesmo à morte. Mas mesmo se você for uma pessoa saudável, você já parou pra pensar na quantidade de açúcar que tem nessa bebida?

Quando você consome altos níveis de açúcar, o aumento rápido da glicose na corrente sanguínea provoca a elevação súbita nos níveis de insulina, que são portas abertas para o armazenamento de gordura. A verdade é que existem no mercado algumas marcas de energéticos que usam adoçantes.
Mas se você pensa que está fugindo de todos os efeitos do açúcar consumindo essas versões de energéticos, bom, você pode estar se enganando.

Isso porque nesses casos você não vai ter a glicose presente no sangue, mas ainda vai sofrer os efeitos do sabor doce da bebida.  Os receptores cerebrais ativados pelo gostinho doce vão provocar vontade de consumir algo com açúcar de verdade ou outros carboidratos que possam satisfazer esse desejo mais rapidamente, por serem altamente calóricos.

Em resumo: se você precisa de um pequeno estímulo uma vez ou outra, talvez o energético seja uma boa ideia. Mas não espere ganhar superpoderes com ele. E acima de tudo: cuidado com exageros!

Riscos da dependência de energéticos

Se você não consegue ficar sem tomar energéticos, seja Red bull, Monster, ou qualquer outro, talvez seja uma boa ideia pisar no freio e reduzir seu consumo, pois os principais componentes dessas bebidas – cafeína e açúcar – tem o poder de causar dependência. E os efeitos dessa dependência podem significar alguns quilinhos de gordura extra e algumas noites sem dormir.

Além disso, é sempre bom fazer um check-up para ter certeza de que o seu corpo (e principalmente o seu coração) está em bom estado. Mas a nossa dica é buscar outras formas de se sentir bem, acordado e concentrado. Ter um boa noite de sono, tomar um banho gelado, praticar exercícios físicos, manter sua alimentação balanceada e beber água são alguns exemplos do que você pode fazer para não virar refém de energéticos.

E sempre, SEMPRE respeite os limites do seu corpo!